quarta-feira, 23 de julho de 2014

Uma carta pra você que ainda não chegou

Talvez eu seja meio individualista, vivo no meu mundinho - onde todas as pessoas que vivem nele são essenciais na minha vida. Meu mundo não é fechado, mas é para raros. Ainda tem espaço para você. Eu não quero criar percepções do irreal, não quero fugir de você. Então seja diferente. Seja mais cérebro que bunda, ou músculos, seja divertido(a). 

Eu não sei viver pela metade, não sei fingir que está tudo bem, não sou fã de tirar uma selfie com um sorriso falso e postar no instagram. Eu não quero viver de faz de contas. Quero namorar mais e passar menos tempo atualizando status no facebook. Eu gosto do esclarecido, do correto e do sincero. Eu vivo de claridades, de céu azul, com fé. Eu conheço muita gente, um mix de pessoas, considero como amigo (a) todas as crianças, presentes de Deus para nós, são as únicas em quem podemos confiar plenamente na certeza que são sinceras conosco. Do que passo disso eu posso lhe assegurar que sou cauteloso com todos, eu já me decepcionei, já deixei a desejar, sou uma pessoa falha e sei muito bem que todos nós temos os nossos defeitos e qualidades.

Eu não estou te procurando. Ah não, eu não procuro o amor. Eu o espero, talvez a gente se encontre num bar, eu te ofereça uma cerveja e eu me encante por você não ter gostado de Crepúsculo. Talvez a gente se encontre por aí, num parque quando eu estiver levando meu cachorro pra passear e eu me encante por você também gostar de animais. Ou talvez você leia essa carta e me procure e eu me encantar por você me dizer que também não entende esse mundo em que vivemos. 

Dou valor ao simples. Gosto de ter contato com a natureza, amo praia, gosto de um bom cenário para fotografar. Se for pra se entregar a mim, que seja pra eu ser seu primeiro pensamento do dia. Pra sair com os meus amigos loucos naquele restaurante japonês que você ama. Pra sairmos numa terça-feira a noite, não só aos sábados. Pra irmos juntos no show da minha banda de rock favorita e tomarmos juntos uma caipirinha. 

Não pense que eu seja exigente, covarde ou qualquer outra coisa. Mas tudo o que sou hoje e tudo o que eu quero para nós, é para te proteger também. Aprendi que valores estão sendo trocados por futuras lamentações. Você pode ser tudo pra mim, não escolha ser só mais um(a). Seja você pelo simples prazer de ser o que você é. Chegue perto de mim, sinta-me, toque-me... e deixe que eu te beije. 

Eu não te procuro. Não sei onde e com quem você está. Mas toda noite eu rezo: Ache-me, por favor. 


Ana da Mata

terça-feira, 22 de julho de 2014

Príncipe made in China

Acordei com sintomas de saudades. Fiquei deitada na cama me perguntando o que deu errado. Por que raios ele nem sequer me procura?  Eu e essa minha mania tortuosa de ter tendências masoquistas. Éramos grudados, como se ele fosse a geladeira e eu um imã. Mas não havia mais amor, os beijos apaixonados se tornaram selinhos e o sexo, nem havia mais sexo. Acabou quando ele me disse que precisava ir ser feliz.

Num dia qualquer, eu o encontro na rua dentro de uma jaqueta de couro e uma touca estilosinha de adolescente. Passou por mim e perguntou como eu estava, eu sorri e disse que estava ótima. Por uma fração de segundo eu o observei e entendi, naquele momento eu entendi porque não daríamos certo. 

Não há mais nenhum sentimento entre nós. Peguei toda a saudade que sentia por ele e engarrafei. Misturei atitude, amor próprio, sonhos, esperança e tomei tudo em uma golada só. Se for pra ter ressaca, que seja de coragem pra seguir em frente.

Uma hora depois, recebo uma mensagem dele "Você está linda! Sinto muito por termos acabado na rotina e termos nos acomodados nisso. Quer sair comigo?" Educadamente, eu respondo: "O comodismo pode trazer conforto, mas é uma péssima companhia." Ele respondeu: "Rs E aí topa sair pra relembrar o passado? Ou quem sabe falar do futuro..." 

Eu digitei, mas pensei bem e não o respondi. O que ficou pra trás, não deve fazer do presente e muito menos atrapalhar o futuro. Eu não o amo mais, triste. Mais triste ainda quando acaba o encanto. De Shopping Center de luxo passou a ser uma barraquinha de camelô. De príncipe encantado passou a ser um sapo. 

Não existe mais nada que possa reverter essa situação. Meu ex príncipe made in China agora é meu atual encorajador de sonhos. Tô indo viver sem sonhar com você... 
Seja feliz no seu reino não tão encantado assim. 

Ana da Mata