domingo, 31 de janeiro de 2016

Não é amor se...

Não é amor se ele estiver interessado somente em transar com você. Se o único interesse é fugir da solidão quando lhe convém. Se ele te manda mensagens apenas em dias úteis da semana, com a finalidade de te levar a um motel. Se os finais de semana são regados de viagens e baladas, amigos e bebida. Se ele, inconscientemente, esquece que você existe. Mas por que lembraria? Oras, ele tem amigos e uísque. 

Não é amor se ele te manda, insistentemente, repetidas mensagens que quer você. É carência. Se ele repete, o quanto você é linda, perfeita e de como a vida dele mudou quando você chegou, sem deixar que você termine de ler a mensagem que enviou há três minutos atrás. É apego. Se ele não te deixar esquecer da existência dele, curtindo suas fotos de 2010, querendo ser amigo da sua irmã, te oferecendo os passeios mais caros da cidade, pra te convencer que ele não é de se jogar fora, por que seria? Oras, ele paga o jantar. É desespero.

Não é amor se ele faz questão de passar em frente à sua casa, para mostrar o carro novo dele. É ego inflado. Se ele faz de tudo para te ver, mostra interesse, é educado, é gentil, é o príncipe sem o cavalo branco, mas diz que tem medo de se relacionar de novo. O medo nos torna submissos a nós mesmos. Se ele te encontra numa festa de amigos em comum, vocês ficam, beijam enlouquecidamente, você se arrepia, ele deixa um gostinho de quero mais e some nos próximos 7 dias. Não é amor, é fogo no rabo. 

Pessoas carentes acreditam, de fato, que estão apaixonadas. E quando não acham, tentam se convencer que estão, apenas pra não ficarem sozinhas. A situação piora quando estamos vulneráveis, quando eles oferecem exatamente o que queremos. Não estou falando de bens materiais, mas de afeto. Nos tornamos refém de um sentimento que não existe. De uma relação que não será construída. 

Se você é uma pessoa que não se ama, trate de praticar o amor próprio. Com ele, você não precisará de uma companhia ilusória somente para elevar sua autoestima. Também não caíra em joguinhos disfarçados de amor, não ficará presa numa relação só pra ouvir o que quer. Não fique com medo de estar sozinha, você é a sua melhor companhia. A audácia sempre controlará a fraqueza. Não seja a pessoa fraca. 

Antes estar sozinha e com o coração inteiro do que estar acompanhada e estar com coração partido. 

Ame-se. 



Ana da Mata

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Ser noiva é...

Ser noiva é acordar sorrindo feito boba, mesmo com tanta dificuldade para achar o vestido de casamento perfeito, ficar com medo de escolher o salto errado e tropeçar na entrada da cerimônia. É ficar enjoada por tanto degustar doces, molhos e salgados de buffets. É trabalhar sua ansiedade e saber lidar com contratempos. É esquecer das tarefas do dia a dia, por estar muito ocupada procurando o lugar que se pareça com um reino encantado. É compartilhar vídeos engraçados de noiva e noivo, e planejar seu próprio show, pro seu casamento. 

Ser noiva é ficar com TPC (tensão pré-casamento) e trocar de humor dez vezes em menos 24 horas. É chorar com vídeos de casamentos, chorar por ver pedidos e saber que você já passou por isso também. Chorar porque os meteorologistas informaram que pode estar nublado no grande dia. Chorar assistindo filmes de romance e chorar escutando a marcha nupcial. Ser noiva é chorar à toa.

Ser noiva é sair para renovar o guarda-roupa e voltar com pano de prato, edredom e uma cortina que combina com a cor do novo quarto. É deixar de reparar nas bijuterias e passar a comparar preços de utensílios domésticos. É passar a ver tutoriais no YouTube com dicas úteis pra decorações simples e acessíveis. É planejar ensaios fotográficos digno de princesa. É dispensar baladas, eventos sociais e viagens por estar em contenção de gastos.

Ser noiva é ter a difícil missão de escolher as madrinhas, sem regrar cor ou vestido, desde que sejam amigas sempre. Porque sabemos que casar é mágico, mas a convivência nem tanto assim. Que as madrinhas estejam presentes quando precisarmos desabafar, sair pra tomar a cerveja e não deixar que rituais de amigas sejam quebradas. Que estejam por perto para receberem a notícia de que serão titias, mesmo que de um cachorro. Ou dois. 

Ser noiva é prestar atenção nos detalhes de outros casamentos, se emocionar com gestos carinhosos de amigos e familiares. É ficar encantada com centenas de vestidos, mesmo que seja um pano branco com um laço lilás pra deixar mais enfeitado. É ficar em dúvida entre escolher um convite  vermelho, que combine com a decoração da festa, ou com um convite roxo que não combina com nada, mas que é muito lindo. 

Ser noiva é falar sobre casamento, o tempo inteiro, com todo mundo. É ficar irritada se algo não sai conforme planejado. É agradecer toda noite antes de dormir por ter encontrado o cara certo. O tal cara que sonhamos a vida inteira. O tal cara que é companheiro nas bebidas destiladas, fermentadas ou no chá de manhã. O cara que sabe somar afetos e subtrair frustrações. 

Ser noiva é estar completamente cansada com os preparativos, mas almejar que a lua de mel compense de alguma maneira.  É ver de perto um sonho se concretizando, um plano saindo da planilha, uma vontade sendo realizada e uma fantasia saindo da imaginação. Ser noiva é estar em constante mudança de humor e, mesmo assim, não deixar de estar feliz.

Ser noiva é mágico.

                                                         Ana da Mata