terça-feira, 27 de junho de 2017

A vida é feita de fases. E todas passam.

Tudo começa com empurrõezinhos. Tem sempre alguém tomando decisões por você. E não poderia ser diferente, você ainda está aprendendo a engatinhar. Tudo é muito fácil. Se chorar ganha colo, se não chorar, ganha também. Você começa a descobrir o mundo. Procura coisas, gosta de umas, rejeita outras. Tem uma rotina resumida em programas infantis na TV, bochechas sendo apertadas por todos que o rodeiam. Brinca, aprende, erra, acerta, chora, faz birra. Fase concluída com sucesso.

Você já está grandinho o suficiente para dizer o que gosta e o que não gosta. Observa o mundo ao seu redor, descobre novos nomes, lugares e pessoas. Questiona quase tudo, ou tudo o que vê e não entende. E se entende, pergunta também. Observando, atentamente, tudo ao seu redor percebe que tem falso gamer tentando te levar pra trás. Finge ser seu amigo e puxa seu tapete. Anda contigo, fala mal de você. Sente inveja de suas conquistas. Tem sua primeira decepção. Aprende a filtrar mais teus amigos. Fase concluída com choro e sucesso.

Seu lado infantil já não está mais em você, agora teus objetivos são outros. De preferência outros com olhos claros e cabelos escuros. Se entrega para alguns adoráveis sapos. Até que surge na tua vida um sapo com ombro largos, cabelos dourados e olhos castanhos, com habilidades e efeitos positivos, aparentemente. É diferenciado. Mostra a magia, te transforma em princesa. Te preenche com seis espaços em seu medidor de saúde. O jogo tá fluindo. Opa, ele foi embora. Efeito magia zero. Diminuiu quatro espaços da sua saúde. Você sofre, quer fechar o jogo. Ei calma, tem sapo que fica. É mais difícil de ser encontrado, mas tem o poder de te mudar de direção, de te deixar gigante, com superpoderes e efeitos intermináveis. Recebeu moedas, se deu bem, seu medidor de saúde está preenchido com todos os corações, está mais forte. Próxima fase.

Já teve decepções de tirar o sono, corroer a alma, dilacerar o coração. Em contrapartida, colecionou bons amigos, conquistou sonhos, atingiu objetivos. Nem tudo está perdido. Saiu da escola. Tem um emprego. Ajuda os pais. Quer sair de casa. Quer tomar decisões sozinha. Quer seu próprio tempo. Privacidade. Liberdade. Quer um carro. Quer se formar em duas faculdades. Quer ganhar mais. Quer mudar de emprego. Quer dormir mais cedo e levantar mais tarde. Quer ser dona de si mesmo. Quer o mundo. Quer a vida. Quer correr o mais rápido que pode, invadir o castelo, beijar um príncipe, ter um final feliz.

Você já está meio cansada de tanta rotina, quer o novo. De novo. Quer fazer escolhas certas, sem precisar ler o horóscopo todo dia. Volta a ser criança, quer saber de tudo. De onde veio, por que veio, para onde vai, por que as pessoas são como são e por que as coisas não podem ser mais fáceis e menos complicadas. Briga com o Universo, não entende nada, ninguém tem as respostas para as suas perguntas. Crise existencial. Para piorar, tem crise econômica, teu emprego tá em risco. Teu parceiro foi embora. Mais um. O que há de errado? Quer apertar stop, mas o tempo não pára. Procura terapias, faz meditação, treina três vezes na semana, entrou no Yoga. Está mais calma. Começa a entender que não existe verdade absoluta, que tudo tem um fim. Enxerga seus problemas com outros olhos, vê o mundo com outra percepção. Alcança a maturidade, absorve empatia, engole dores alheias sem engasgar. Fase concluída.

Você tem um parceiro, ele te ajuda a pular pontes difíceis. Te dá moedinhas de ouro, você ganha duas vidas. O jogo tá fluindo. E está tão bom, que você nem quer que tenha um final; Esquece a parte de vencer o Super Dragão, alcançar o topo castelo. Esquece. Tem um emprego bacana, faz viagens que te trazem lembranças bonitas. Percebe que a
gente falha miseravelmente em cada tentativa de adivinhar a próxima fase. E lá vem o destino com um menu secreto, dando opções bonitas de futuros. A gente escolhe o mais fácil. Cadê o código secreto estampado na nossa cara, nessas horas? Não tem nem capa de invisibilidade que nos faça sumir, até tudo ficar como queremos. Se não controla sua vida, a vida controla você.

O que existe de mais valioso no mundo, é o tempo. Use.
O infinito é o nosso mantra mais bonito. Enfeite.
Somos responsáveis por tudo que ecoa na eternidade. Preencha.
O que existe de mais valioso em nossas vidas está guardado em nós. No coração.

O segredo é nunca parar. Continue. Arrisque. Acredite. Se é seu, passará no teu caminho. Paciência. Nem tudo o que você quer, é o que precisa. Vá, sem medo. Mude, sem olhar para trás. Se a vida é um jogo, o controle é você. Não dê stop, não volte fases, vença obstáculos. No fim do jogo, terá valido a pena. E o esforço.

Momentos ruins, tornam-se aprendizados. Momentos bons, tornam-se lembranças. A vida é feita de fases. E todas passam. Aproveite-as!






Ana da Mata